Conta não bate e juiz manda autor refazer “seu ridículo cálculo”

Segundo juiz da 4ª vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, diferença de níveis que o autor estaria pleiteando era de R$ 94,51.

A matemática às avessas de uma das partes em processo contra o Estado do RS irritou o juiz de Direito da 4ª vara da Fazenda Pública do Foro Central de Porto Alegre.

Segundo o magistrado, a diferença de níveis que o autor estaria pleiteando era de R$ 94,51. “Apreciaria muito saber como chegou ao expressivo valor da causa de R$ 1.186.483,54 para um período inferior a três anos“, disse.

Sem esconder sua insatisfação com a conta, considerada pouco ortodoxa, lançou no despacho: “O autor tenha santa paciência e refaça seu ridículo cálculo.”

Ao final, ainda deu a dica: “Pela matemática tradicional e universal, isso não deve passar de quatro mil reais.”

  • Confira:

Processo: 0114661-71.2016.8.21.0001

Fonte: www.migalhas.com.br

________________________________________________________________________________________________________